Últimas Resenhas

[Resenha] Divergente #01 - Veronica Roth

07 abril 2015

Titulo: Divergente - Livro 01
Autora: Veronica Roth

Editora: Rocco
Paginas: 504
Ano: 2012


Sinopse:Divergente é eletrizante. O tipo de história que você começa a ler e devora todas as páginas sem sentir. Há um bom tempo eu vinha escutando dezenas de comparações em relação a esta obra com Jogos Vorazes e, sinceramente, ao mergulhar no universo das facções criado pela Roth, a trilogia escrita pela Collins era a última coisa em que eu pensava.Há sim algumas similaridades, principalmente levando em consideração que ambas as trilogias possuem o gênero em comum. Deixando de lado o óbvio, acredito que cada uma das autoras conseguiu se sobressair ao seu modo e construir mundos diversos e interessantes ao apresentar suas críticas moldadas de forma inteligente e envolvente.
Chicago não mais existe como nós a conhecemos. Após toda a devastação realizada pelas mãos dos próprios seres humanos, as pessoas se dividiram em grupos específicos de acordo com aquilo que mais valorizavam formando cinco facções: Abnegação, Audácia, Amizade, Erudição e Franqueza. Todos nascem em um desses grupos e aos 16 anos passam por um teste de aptidão onde têm a chance de escolher se continuarão na facção de nascença ou migrarão para outra.Acho que já mencionei o quanto admiro a ambiguidade na construção de um personagem. Os seres humanos são essencialmente ambíguos, constantemente em contradição, então simpatizei de cara com a protagonista, Beatrice, membro da Abnegação. Apesar de admirar os valores da sua facção, ela se sente deslocada ao ter ciência que não pertence ao grupo e experimenta o dilema de ficar com a família ou abandoná-los para seguir o que acredita. Durante o teste de aptidão, porém, acontece o inesperado: o seu resultado é inconclusivo, algo extremamente perigoso, e ela se descobre Divergente.Achei fascinante entender os conceitos de cada facção e todo o significado, simbolismo e perigo que acarretam a divergência. Apesar de ter ficado admirada com tudo que a autora criou, acho justo deixar claro que o mundo distópico da Roth, em minha concepção, nunca seria possível. Mencionei minha admiração em relação a ambiguidade da protagonista justamente por ser algo intrínseco a todos os seres humanos, tal aspecto nunca seria a exceção. Em qualquer mundo paralelo habitado por humanos, não importa a imposição do governo, forçar esse tipo de comportamento e padrão mental sem margem para outro tipo de inclinações seria impossível.Ao conhecer um pouco mais a fundo determinada facção, à primeira vista achei tudo muito estereotipado. A autora deixa implícito a tênue linha entre coragem e estupidez, por exemplo, mas as atitudes dos seus membros me pareceram tão esdrúxulas que sinceramente essa linha de tão tênue pelo visto foi rompida. De certa forma tive que admitir certa lógica quando começamos a perceber que talvez a essência de cada uma das facções tenha começado a deturpar-se.Apesar das minhas descrenças, não se enganem: esta leitora adorou cada pedaço de Divergente. O romance repleto de faíscas, os personagens bem construídos e a brutalidade presente na história, algo que não estava esperando. O livro é voltado para jovens leitores, mas a crueldade permeia todo o enredo, afinal de contas estamos inseridos em um universo distópico, e não utópico. Ainda assim me espantei com a quantidade de cenas marcantes, que deixaram meu coração palpitando de expectativa e ansiedade.Por toda essa carga de emoções em conflito, só posso parabenizar a ótima narrativa da Roth, que deixa o leitor completamente vidrado em suas páginas, absorto em seu mundo a ponto de esquecer do nosso. Um conselho de leitora exultante? Se você é fã de distopias, olhe para Divergente com mais atenção. Subestimei o nível de contentamento que eu sentiria por este livro. Envolvente é uma das palavras que o melhor caracteriza, com muitas outras elogiosas para acompanhá-la.


Olá Pessoal,
Tudo bem com vocês? Sei que ando meio que completamente desaparecida, mas ainda estou nos bastidores kkkkkkkkkkk.

Hoje vou falar com vocês de Divergente, a saga que me conquistou pelos filmes kkkkkk, confesso que quando ele foi lançado eu havia acabado de ler Jogos Vorazes e não quis me aventurar em uma leitura parecida, já que tinha lido a trilogia 3 vezes cada um e sofrido pencas....

Mas eis que me rendi ao filme no final de semana retrasado e resolvi que ia ler, não só ele, mas também alguns outros que logo aparecerão por aqui kkk, mas chega de papo e vamos ao que interessa.

Como a sinopse mesmo já diz, Chicago não existe mais, até onde sabemos o planeta foi devastado pelo próprio ser humano, e agora as pessoas que existem vivem de uma nova forma, aplicando um novo modelo de comunidade, onde os seres humanos são divididos conforme suas características em facções, sendo elas:
Amizade, Erudição, Aúdacia, Abnegação Franqueza.

" Quando o mundo estiver unido na busca do conhecimento, e não mais lutando por dinheiro e poder, então nossa sociedade poderá enfim evoluir a um novo nível."

Eles acreditam que dessa forma, o que restou do mundo como conhecíamos, poderá se desenvolver em paz com cada um, usando aquilo que tem de melhor para com o próximo.

Como protagonista desta Distopia, temos Beatrice, uma jovem de 16 anos que está prestes a passar pelos testes de aptidão para que depois disso possa escolher sua facção com a certeza de que está fazendo a escolha certa. Mas um imprevisto acontece e Beatrice descobre que ela é uma pessoa Divergente, ou seja, ela esta apta a mais de uma facção, e o que poderia parecer bom, se torna uma ameaça a sua existência.

Tori, a moça da Audácia que aplicou seu teste, lhe sugere fingir que nada aconteceu e continuar em Abnegação junto com sua família que é o lugar mais seguro, mas Beatrice tem certeza de que não quer permanecer naquela vida omissa na qual cresceu, sendo assim no dia de sua escolha ela toma a difícil decisão de abandonar sua família e se unir a facção que sempre admirou, a Audácia.

Agora com um novo nome, Triss passará por vários desafios que lhe mostrarão que ela é mais forte do que imagina, tudo para permanecer na facção que seu coração escolheu, cheio de aventuras, com certeza Divergente entrou pra lista dos meus favoritos.

Como não pode faltar romance, conheceremos Quatro, um dos supervisores do treinamento de Triss, ele é durão e ao mesmo tempo meigo e atencioso, e o romance dos dois é encantador, e passará por várias provações.


" Algo nele faz com que me sinta prestes a despencar. Ou derreter. Ou arder em chamas."

Quatro assim como todos em Audácia, possui coragem e selvageria suficiente pra se manter vivo, mas por trás de toda essa camada ele esconde um segredo, e até mesmo uma fragilidade que pode e vai encantar o leitor, ela será muito importante para todo o desenvolvimento de Triss dentro da facção.

Entre indas e vindas, posso garantir que o livro é repleto de momentos empolgantes, e me arrisco a dizer que existe muito mais emoção do que momentos melosos, o que torna a leitura cheia de adrenalina 

O gostoso da história é que ela não acontece somente em torno do romance, mas assim como J.V irá abranger toda uma revolução, trazendo assim um conteúdo meio que critico com relação a sociedade, fazendo com que o romance entre Triss e Quatro se torne apenas mais um acontecimento.
Uma guerra entre facções, esta para acontecer, e apesar de começar nesse livro acredito que vem muito mais por aí nos próximos.


" Valorizar o conhecimento acima de todas as coisas provoca uma sede de poder que leva o ser humano a lugares sombrios e vazios."

A escrita da Verônica é leve e encantadora, desde a primeira página até a última, ela te guia com estrema leveza e encanto fazendo com que você não sinta o passar do tempo e devore as paginas da obra, como li em e-book não posso me aprofundar na questão diagramação e revisão.

Todos os personagens são de suma importância, fazendo com que até os secundários tenham grandes participações no decorrer dos acontecimentos.

Super recomendo o livro e o filme, pois apesar de eu ser uma pessoa birrenta e na maioria das vezes sair da sala de cinema revoltada, dessa vez tenho que confessar que amei o filme, que depois de ler a obra cheguei a conclusão de que todas as alterações feitas no enredo do filme, não prejudicaram em nada a obra para aqueles que leram.

Para os que não assistiram ainda, vou deixar o trailer do primeiro filme e logo mais volto com o segundo.






Quem me conhece sabe que é muito difícil eu elogiar um filme, sempre acho nele defeitos por menores que sejam, e quando comecei a ler o livro tinha certeza que muita coisa estava escondida, mas felizmente me surpreendi e percebi que as alterações foram sutis e necessárias, tanto que podem ser vistas várias falas do livro no filme, tornando a sensação pra quem leu bem mais agradável.

Enfim, só posso dizer que amei a história e que estou ansiosa pela continuação, estarei lendo os três e e-book, mas de qualquer forma, gostaria de antecipar que já fui assistir o segundo filme e que farei uma resenha conjunta Livro x Filme sendo assim me aguardem.

Acredito que a maioria das pessoas que nos acompanham já assistiu e leu, então fica bem mais fácil compartilhar sua opinião conosco! Deixe seu comentário para que possamos bater um papo.

Beijokas e até a próxima.



3. Ler um livro lançado no ano de 2013 ou nos anos anteriores

Acompanhe nossas leituras aqui











Real Time Web Analytics