Últimas Resenhas

[Resenha] Duff - Kody Keplinger

23 junho 2017

Título: Duff 
Subtítulo: A maioria das pessoas faria de tudo para evitar.
Gênero: Jovem Adulto | Romance 
Autora: Kody Keplinger 
Editora: Globo Alt 
Páginas: 328
Ano: 2016


Sinopse:
Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.


Quem
nunca se sentiu o patinho feio da turma? A mais baixinha, a gordinha, a renegada? Eu sempre kkkkk, e quando descobri Duff sabia que ia me identificar com o enredo, só não imaginava que seria tanto.
No trio de amigas, Bianca sem dúvida é a Duff ( Designated Ugly Fat Friend ), ela não é loira, nem alta, muito menos popular como suas amigas Casey e Jessica, mas tudo isso era desconhecido para ela, até que Wesley Rush o gostosão popular do ensino médio se aproxima e lhe conta esse segredinho. Segundo ele, Bia é a Duff do grupo, e se aproximar dela, aumentaria as suas chances com as amigas gostosas dela, mas ele não podia estar mais enganado.

E daí pra frente tudo parece desandar... o que já não era lindo fica pior, ela tenta a todo custo esquecer a ofensa, mas se pega analisando as verdades no dia a dia, e se isso não fosse o bastante, ainda tem que lidar com o sofrimento do seu pai, já que sua mãe foi embora e resolveu mandar apenas os documentos do divórcio sem aviso prévio e a visita de seu ex namorado, Jake o irmão de Jessica, o único que invadiu e dilacerou o coração de Bianca.

Num ímpeto louco de esquecer seus problemas, Bianca resolve usar Wesley como distração, ele sempre usou todas as garotas, isso era merecido, o problema é que está ficando bom... e aquilo que era para ser apenas uma distração começa a se transformar numa necessidade e mesmo depois que Jake vai embora, Bianca continua tendo problemas, seu pai começa a ter  recaídas constantes com o álcool e ele se torna agressivo quando está bêbado, Wesley descobre isso é agora mais do que nunca ele é o único que ela tem.

Com o passar do tempo Wesley e Bianca começam a se dar bem, e ela num ímpeto de esconder seus sentimentos começa a fugir dele, e até inicia um namoro com sua paixonite de infância, mas Toby não é Wesley, e nem Wesley é mais o mesmo, parece que o garanhão deu por encerrada suas caçadas, algo esta acontecendo.

"Wesley era minha distração. Ele devia ser minha fuga das emoções. De todo o drama. E ali estava eu... sentindo esse turbilhão de emoções."

Kody criou uma história deliciosa, com uma narrativa em primeira pessoa Bianca nos mostrará sua história e a forma com a qual ela venceu a ofensa e aprendeu a lidar com seu lado Duff. Buylling no colégio não é raro, e por mais que esse também seja o tema aqui, a autora nos mostra a verdade com muita leveza, e ao invés de nos fazer enxergar  que é errado, nos faz entender que todos temos os nossos defeitos.

Eu não esperava gostar tanto do livro, na minha cabeça era só mais um romance adolescente, mas no fim, foi muito mais que isso, Bianca é forte e destemida e não se deixa abalar por pouca coisa, o amadurecimento da personagem durante a história é visível e palpável, e não só dela como de Wesley também que no final surpreende de uma forma bem gostosa.

A autora me mostrou que todos somos Duff, em algum momento ou por alguma razão, e que até as pessoas que aos meus olhos são perfeitas podem se sentir Duffs, afinal nunca estamos contente com o que temos ou somos, parece que se sentir incompleto é uma dádiva do homem.

"Eu era uma Duff. E isso era uma coisa boa. Porque qualquer pessoa que não se sente como uma Duff de vez em quando não deve ter amigos. Todas as garotas se sentem pouco atraentes às vezes."

A edição da Globo é linda, diagramação e revisão como sempre impecáveis, editora Top como sempre. Apesar de ter assistido filme e indicá-lo, o livro é bem mais delicioso e possui uma riqueza de detalhes bem maior.

Duff é mais que um romance, é um livro sobre amadurecimento, superação e aceitação, se você como eu adora tirar uma lição das páginas lidas e ama um romance, una o útil ao agradável e leia Duff, garanto que você ão vai se arrepender.



Real Time Web Analytics