Últimas Resenhas

[Resenha] Dias Perfeitos - Raphael Montes

07 fevereiro 2017

Título: Dias Perfeitos 
Gênero: Thriller Psicológico | Policial 
Autor: Raphael Montes 
Editora: Companhia das Letras 
Páginas: 280
Ano: 2014


Sinopse:
Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

Teodoro, 
mais conhecido como Téo, é um estudante de medicina que poderia ter um futuro esplendoroso levando em consideração toda a sua inteligência, mas acima disso, Téo possui problemas psicológicos de comportamento que aparentemente impediram ele de ter um belo futuro... mas não impediram, confuso né?? Vou explicar.


Téo não se sente apegado as pessoas, não consegue sentir amor pela própria mãe paraplégica, a qual ele menciona várias vezes como um estorvo durante sua narrativa, psicologicamente afetado, ele tem problemas de relacionamento e sua única amiga é Gertudres, a defunta com a qual ele faz seus estudos de anatomia, mas um belo dia isso muda, ele conhece Clarice.

Clarice é uma jovem cheia de energia, comunicativa e cheia de empolgação na vida, ela é aquele tipo de mulher comunicativa e desbocada, aquele tipo como eu que fala e brinca com todo mundo, que não tem medo de fazer novas amizades e que adora estar rodeada de amigos, e confesso que no decorrer da leitura essa comparação me assustou um bocado... Comunicativa que só, Clarice puxa conversa com o deslocado Téo no churrasco, e depois de um bate papo leve e um selinho inocente, ela imagina que jamais verá o mesmo, mas Téo possui outros planos para ela.

A partir desse dia, Téo se sente incumbido de fazer Clarice se apaixonar por ele, ele acredita que ela esta perdida na vida e que somente ele poderia dar jeito e fazê-la feliz, e é com esses pensamentos de serial killer que ele começa a impor sua presença na vida da moça, até o dia em que ela o expulsa e ele se vê obrigado a sequestrá-la e é aí que a tortura começa.


"Quem nunca se apaixonou sem ser correspondido? Quem não gostaria de mostrar que poderia ser diferente, que a história de amor poderia dar certo? Ele apenas fazia o que todos já tinham desejado fazer. Havia criado para si a chance de estar próximo de Clarice, de deixar que ela o conhecesse melhor antes do não definitivo."

Téo é um ser surtado, louco paranoico, ele sequestra Clarice e como se isso já não bastasse, mantêm a coitada acorrentada e amordaçada na maior parte do tempo, e sua desculpa é que ele a ama, sério? que diabo de amor é esse?? Ele comete loucuras, assassinato, mentiras e agressões, e a cada página fica mais difícil acompanhar as loucuras de nosso protagonista.

Essa é minha primeira experiência com a escrita do autor, e é com muita sinceridade que digo que ele possui um talento nato com as palavras, sua narrativa é viciante e impressionante, apesar dos acontecimentos sombrios e pesados, Raphael descreve os pensamentos do psicopata com maestria, mas ainda sim, possui falhas, muitas falhas... Talvez eu não tenha sido convencida pelos acontecimentos, mas ainda sim, alguns deixei passar, mas o final pra mim foi a gota d'água. Depois de tudo que Clarice passou, o final dado foi desumano e no meu conceito irracional.

A história é boa, narrada em primeira pessoa, você assistirá todos os acontecimentos através dos olhos do próprio Téo, ele lhe apresentará seus medos, seus planos e suas loucuras, em alguns momentos a leitura se torna pesada, não pela escrita, mas pelos acontecimentos e a frieza de Téo.

A edição esta fofa, revisão e diagramação impecáveis, a capa faz jus aos acontecimentos e representa bem a história, a edição foi impressa numa versão um pouco menor que o comum, facilitando o transporte do livro na bolsa.

O livro é bacana, e apesar de não ter me convencido de forma alguma com o final que foi lhe dado, ainda sim recomendo para quem gosta do estilo, sangue, morte e loucura estão presentes na página desse trriller, se você curte esse estilo de leitura, ent~~ao vai se apaixonar por Dias Perfeitos.




Real Time Web Analytics