Últimas Resenhas

[Resenha] A Fúria e a Aurora #01 - Renée Ahdieh

05 outubro 2016

Título: A Fúria e a Aurora - Livro 01
Série: A Fúria e a Aurora #01
Autora: Renée Ahdieh
Editora: Globo Alt
Páginas: 336
Ano: 2016


Sinopse:
Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado.

Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga.

Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.


Em 
A fúria e a aurora, seremos apresentados a uma adaptação do clássico Mil e Uma noites, e o livro que tinha tudo para ser apenas mais um da lista de adaptações, se tornou para essa leitora em especial O Livro e A Adaptação. Vamos conhecer?


Sherazade é uma garota de 16 anos, corajosa e extremamente protetora daquilo que acredita, quando Khalidi, o impetuoso rei de Khorassam começa a assassinar suas esposas a cada amanhecer, uma sombra de revolta cobre toda a população, mas é quando sua amiga Shiva se torna mais uma das assassinadas que Sherazade decide que esta na hora de agir.

Sherazade então se voluntaria para ser a próxima esposa do Califi de Khorasam, ela esta decidida a se manter viva, descobrir a fraqueza do menino rei e assassiná-lo, vingando assim não só sua amiga como todas as outras mulheres que  morreram sem um motivo aparente. Sendo assim, na noite de núpcias, ela resolve contar uma história ao rei, mantendo-o acordado até o amanhecer e assim se mantendo viva para ver mais um pôr do sol, a cada história contada a curiosidade do Khalidi faz com que ela se mantenha viva, já que ela lhe reserva o final para a próxima noite.


"A vida de todos esta condenada, sayyidi. É apenas uma questão de tempo. E eu gostaria de viver mais um dia."

O que Sherazade não esperava, é que matar o Rei se tornasse algo tão impossível. Com o passar do tempo dentro do castelo, nossa protagonista começa a conhecer um lado do rei monstro que ninguém mais teve acesso, fazendo com que seus sentimentos se tornem confusos e que ela necessite de uma explicação para os assassinatos.

Khalidi se tornou Rei muito cedo, e desde então vem sofrendo opressões de familiares que querem seu trono, além claro, de acontecimentos que o levaram a cometer as atrocidades que fizeram com que ele se tornasse o rei mais odiado de Khorasam, mas quando ele conhece Sherazade, uma centelha de esperança se acende, e talvez, só uma vez, ele possa ser apenas um homem e viver um dia simples.


"Se esforce mais, Shazi. Minha rainha não tem limitações. Ela não tem limites no que quer que faça. Mostre a eles."

Quando Sherazade partiu, deixou para trás seu pai e seu amor, Tariq não admite que sua amada esteja cativa no reino do monstro e parte em uma caçada de aliados para destruir o Rei dos Reis e assim salvar a mulher que ama da morte certa. Mas o que Tariq não esperava em uma visita cordial ao reino, era perceber que sua amada se sentia em casa naquele lugar, e que mais que isso, o Khalidi se importava com ela, e aparentemente ela também estava começando a se importar com ele.

A história que Renée criou para seus leitores é simplesmente fantástica, um mundo mágico, uma adaptação com o suficiente para relembrar o Original, mas muito mais do que o esperado para torna-la tão especial. O livro é uma viagem ao mundo da fantasia, assim como quando leio um romance de epóca, foi impossível não imaginar todas as vestimentas e luxo descritos na história e não querer estar lá. A Sherazade criada, assim como a original é uma força da natureza, um ser admirável, ela não aceita ordens e possui uma língua afiada.


"Uma verdadeira praga de moça. E ainda assim uma rainha em cada sentido da palavra." 

Por mais que Sherazade tenha se voluntariado para exercer sua vingança e matar Khalidi, ela não esperava encontrar dentro daquelas muralhas um homem que possuísse coração, o contato entre Khalidi e Sherazade é lindo, e a forma como a autora constrói e aflora o amor dos dois é nada menos que magnífico e apaixonante.

Os personagens secundários são essenciais para a história e se torna impossível não se apaixonar pela maioria deles, o livro é repleto de drama e magia, amor e coragem e acima de tudo muita comédia, a autora me arrancou gargalhadas em trechos onde a língua afiada de Sherazade desafiava seu esposo que respondia a altura.

Achei que jamais encontraria em minhas leituras, alguém que me fizesse suspirar tanto quanto Amon de O despertar do Príncipe, mas Khalidi é sem dúvida alguma o Rei dos Reis, e com o decorrer da leitura ele se tornou o Rei do meu coração. Um garoto que foi obrigado a se tornar homem, que criou uma máscara para vencer o mundo, mas que precisa mesmo é de um colo e afeto, me apaixonei por ele em cada palavra e em cada atitude.


"Eu amo você milhares de vezes. E nunca pedirei desculpas por isso."

A leitura é cativante e magnífica, o desenrolar da história é viciante e desesperador, em vários momentos quis entrar no livro e mandar Tariq parar de encher, meu coração é todo do califa, e por vários momentos sofri por não saber o que viria na próxima página. A capa é linda, o título condiz muito com a condição da protagonista que inicia a história em um momento de ódio e finaliza em pura aurora e amor. A diagramação esta perfeita e como sempre a revisão esta impecável, um dos pontos que muito me admiram na editora.

O final do primeiro volume me deixou sem chão, Renée terminou a história de uma forma que me deixou presa e que sei que me deixará de ressaca por um bom tempo, a parte boa é que a segunda parte esta para chegar.

Sem ter mais o que dizer há não ser que amei com todas as forças e que sem sombras de dúvidas esse livro foi o melhor internacional do ano, a melhor leitura, os melhores protagonistas... leiam, vocês não vão se arrepender.




Real Time Web Analytics