Últimas Resenhas

[Resenha] Quarto - Emma Donoghue

23 maio 2016

Título: Quarto
Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Páginas: 350
Ano: 2011
Onde Comprar: Amazon
Sinopse:
Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

Olá pessoal!!
Depois de me encantar pelo trailer,me aventurar no cinema e quase morrer afogada em lágrimas, resolvi que deveria ler essa obra aclamada e conhecer o famoso Jack.


"A alma escolhe sua própria Companhia... Depois... Fecha a porta..."


Jack tem apenas 5 anos, vive em quarto com sua mãe, e tudo que ele conhece do mundo está ali dentro, e por vezes na TV, mas ele acredita que tudo que existe na caixa não é de verdade, e que o mundo consiste no quarto, na mãe e no Velho Nick.
"Quando eu tinha quatro anos, eu achava que tudo na TV era só a TV, aí eu fiz cinco e a mãe desdizeu que uma porção de coisas eram só imagens do mundo real e falou que o Lá Fora era totalmente real."

Joy foi sequestrada aos 19 anos na porta da faculdade, desde então vive em um cativeiro, onde é abusada sexualmente por seu sequestrador, sendo alimentada de maneira precária, e foi neste lugar que Jack nasceu e cresceu.

Acontece que Joy não suporta mais essa situação e vê em Jack a sua salvação, bolando um plano suicida onde o menino poderia ser sua morte ou sua salvação.

Depois de libertos Joy e Jack vão passar por inúmeros problemas, mas principalmente Jack vai conhecer o "Lá Fora" e suas experiências podem ser marcantes para cada leitor.

O livro inteiro é narrado em primeira pessoa, então imagine o meu espanto ao descobrir que conheceria a história pelos olhos do próprio Jack? Ele é um garoto muito esperto, e apesar de ter sido criado entre quatro paredes, ele é saudável na medida do possível e muito, muito inteligente.

Jack não conhece a história da sua mãe até que ela decide que eles precisam sair dali, e é nesse momento que podemos perceber o quanto, apesar de inteligente ele é inocente, e o quanto o mundo que para nós parece tão comum pode ser tão espetacular aos olhos infantis.

Jack com sua inocência nos mostrará coisas banais do mundo que podem ser espetaculares e até assustadoras aos olhos de um menino de 5 anos que acabou de conhecer o mundo, nos mostrando o quanto os conceitos e as nossas atitudes estão erradas.

"No mundo, eu noto que as pessoas vivem quase sempre tensas e não têm tempo. Até a Vovó sempre diz isso, mas ela e o Vopô não têm emprego, então eu não sei como as pessoas empregadas fazem o trabalho e toda a vida também. No Quarto, eu e a Mãe tínhamos tempo pra tudo. Acho que o tempo é espalhado muito fino em cima do mundo todo, feito manteiga, nas ruas e nas casas e nas pracinhas e nas lojas, por isso só tem um tiquinho de tempo espalhado em cada lugar, e aí todo mundo tem que correr pro pedaço seguinte."


A história não é leve, apesar de ser contada por uma criança de 5 anos, o enredo nos trás uma verdade dolorosa sobre sequestros e vidas em cativeiros. Apesar de Joy ter usado todo seu extinto materno para fazer daquele quarto um lar, ainda sim é tudo muito sofrido e penoso, posso dizer até repudiante, mediante as condições a que ela é imposta para manter o filho bem e alimentado.

Apesar de ter derramado rios de lágrimas com o filme, não consegui fazer o mesmo com o livro, apesar dele ser mais profundo e muito mais descritivo, o filme conseguiu nos passar, mesmo que mudando o roteiro da história, todo o sentimento contido nas cenas, e talvez Jack não possuísse maturidade suficiente para entender isso, já que sua mãe o manteve seguro da forma que pode.

Os atores que interpretaram essa linda história na telona são espetaculares, e não há como não se apaixonar por Jacob Tremblay. Com uma interpretação perfeita, juntos eles nos mostrarão o que o amor de mãe é capaz, já que Joy tinha tudo para odiar um filho vindo de um abuso, mas ao invés disso o amou com todas as suas forças e o usou como sentido para se manter viva e lutando.

"De perto as árvores são gigantes gigantescos, têm uma coisa feito pele, mas com mais nós quando a gente passa a mão. Achei uma coisa meio triangular do tamanho do meu nariz, que a Noreen disse que era uma pedra."

Eu recomendo o livro pra quem gosta de coisas fortes, e de certa forma verdadeiras, já se preparando claro para as emoções, me senti muito tocada com a narrativa e os acontecimentos. Uma leitura que super indico.




Real Time Web Analytics