Últimas Resenhas

[Resenha] Primeiro e Único - Emily Giffin

25 agosto 2015

Título: Primeiro e Único
Autora: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Ano: 2015


Sinopse:
Primeiro e Único - Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.
Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.
A aclamada autora de Questões do Coração e Presentes da Vida criou uma história extraordinária sobre amor e lealdade e sobre uma heroína não convencional que luta para conciliá-los.

Shea é uma jovem completamente apaixonada por futebol americano, criada nesse meio desde que se conhece por gente, ela trabalha na departamento de imprensa da Faculdade Walker, onde o treinador Carr, pai de sua melhor amiga Lucy, esta a frente de um dos melhores times de futebol americano universitário.

Além de seu profundo amor pelos Broncos, time do seu coração, Shea também tem uma extrema admiração pelo treinador, talvez não pelos motivos certos, se levado em consideração que ela cresceu tendo ele como uma imagem de pai, já que seu próprio não é nada presente. Ela tem uma vida simples, e o fato de estar perto de tudo que gosta nunca a fez pensar em mudar de alguma forma para melhor.


"Minha vida era mamão com açúcar, e, apesar das duvidas recentes que me surgiam a respeito de qual direção seguir, eu não conseguia entender porque tantas pessoas ao que pareciam acreditam na filosofia de que o fácil é justamente o oposto do digno."

Começamos o livro com o falecimento da esposa do treinador Carr, uma mulher de extrema importância para todos os que estavam ligados a família e ao time de futebol. E é nesse momento que Shea começa a questionar, se ter passado esses 33 anos trancada na mesma cidade fazendo sempre as mesmas coisas foi saudável.

Ela começará a trilhar um caminho sem volta, onde amadurecer e se descobrir é inevitável. A partir daí começarão a aparecer questionamentos sobre sua vida, sua profissão, seu relacionamento, e assim tudo começará a mudar, e talvez aquilo que ela achava ser uma coisa pode ser outra completamente diferente, confuso né? kkkkkkk
E é no meio dessa encruzilhada de mudanças, que Shea vai perceber que sua admiração e fanatismo pelo treinador Carr são muito mais que isso, ela esta apaixonada pelo homem que toda a sua vida foi um exemplo, pelo pai de sua melhor amiga, um amor impossível, que vai nos mostrar que o impossível pode ser possível.


"Porém quanto mais eu tentava convencer a mim mesma, mais o muro de negação vinha abaixo. E, dessa vez, no meio do caminho entre Walker e Dallas, não havia como ignorar a sensação que me golpeou as entranhas: eu sentia algo pelo pai de Lucy. Algo inegável, real, não como amiga, nem como filha, mas como mulher e homem."

Não vou negar que me senti extremamente confusa até a metade do livro, principalmente durante o período de transformação da Shea , e isso atrelado aos termos de futebol americano realmente não me ajudou.

A escrita da autora é incrível, mas temo que esse não tenha sido uma de suas melhores obras, já que por inúmeras vezes ouvi falar tão bem dos livros dela.

Os personagens são encantadores e cada um possui uma personalidade muito marcante, o que transforma a história em algo muito concreto, o problema é que pra mim, a leitura só começou a ficar realmente interessante depois da metade, quando Shea realmente se encontra, começa a decidir o que ela realmente quer da vida dela e o que realmente é importante.

O futebol, é uma parte muito grande do contexto do livro, e agrego a isso minha maior dificuldade em me apaixonar pela história. Mas ainda assim, com toda a minha dificuldade é impossível não identificar os ensinamentos passados pela autora, o reconhecimento do amadurecimento não só da Shea, mas dos outros personagens também, como Lucy que aprende a ser mais maleável e levar em consideração os sentimentos dos outros.


"... a forma de enxergarmos o mundo é pura questão de interpretação. É muito mais querer, desejar e esperar do que acreditar bem lá no fundo."

A capa esta perfeita, representa muito bem o que o livros nos passa, com páginas amareladas e letras com um tamanho agradável, a leitura é bem confortável, mas apesar disso encontrei alguns pequenos erros gramaticais durante a leitura, nada comprometedor e que impeça a compreensão da obra.

Enfim, no final eu realmente me apaixonei por Shea e suas reviravoltas, e cheguei ao momento em que soltar o livro era impossível, precisava saber o que ia acontecer e como ia acontecer, e claro, torcer pelo Broncos!!!

Não é meu cinco estrelas, porque no final eu queria mais romance e menos futebol, mas ainda sim ele me conquistou e eu indico porque sei que vocês irão ficar curiosos com esse romance tão improvável e ao mesmo tempo tão encantador.

Espero que tenham gostado e claro espero ter a honra de conhecer outra obra da autora para assim poder tirar cnclusões exatas.

Beijokas e até a próxima



Real Time Web Analytics