Últimas Resenhas

[Resenha] O Lado Feio do Amor - Colleen Hoover

23 julho 2015

Título: O Lado Feio do Amor
Autor: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Páginas: 336

Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor. O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.




Oi oi gente, tudo bem com vocês? 

Desde que me tornei resenhista aqui do blog tenho uma imensa vontade de falar sobre esse livro e o quanto o amo, mas ao mesmo tempo sinto uma espécie de bloqueio e por isso adiei tanto o momento. Em minha humilde opinião Colleen Hoover é sem duvida uma das melhores escritoras da atualidade, tanto por abordar temas diferentes, quanto por brincar com meus sentimentos sem pedir permissão. Sério gente, os livros dela são daqueles que me deixam semanas, e em alguns casos, a vida toda pensando neles. 

Desde que li a trilogia Slamed (publicada no Brasil com o nome de Métrica) fiquei encantada pela escrita dessa mulher, e desde então leio, ou tento ler, tudo que ela publica. Me apaixonei imensamente por Maybe Someday (que também pretendo resenhar) e Um caso perdido, que li mais ou menos em julho do ano passado, e em setembro tive o prazer de me deparar com o ebook de Ugly Love.

Conhecendo a Colleen e todas suas obras anteriores, eu sabia que o que viria a seguir não seria apenas um romance água com açúcar e um draminha básico sem fundamento. Ao ler a premissa criei expectativas e olha, preciso dizer que todas elas foram superadas. Então, é com imenso prazer que hoje resenho pra vocês O Lado Feio do Amor, que deve chegar às livrarias em agosto pela editora Galera Record.

Tate é uma garota adorável, que por conta de seus estudos, acaba se mudando para o apartamento do irmão Corbin em São Francisco. Logo ao chegar Tate tem a primeira surpresa de muitas que ainda a aguardam. Em frente à porta de sua nova moradia há um homem bêbado, desmaiado, que bloqueia sua entrada. Sem saber o que fazer, Tate liga para o irmão em busca de ajuda. Passado alguns instante Corbin por fim identifica o bêbado como seu vizinho e melhor amigo, Miles. Sabendo que o homem deve ter tido algum grande motivo para chegar a tal situação, Corbin apenas orienta Tate que o coloque para dentro. E então os problemas começam.
Com um passado obscuro e cercado de lembranças amargas, Miles é um homem reservado, misterioso, que foge de problemas e relacionamentos, até Tate cruzar seu caminho. Sem planos de se apaixonar ou ter qualquer envolvimento com sua nova vizinha e irmã de seu amigo também piloto, Miles faz o possível para manter certa distância entre ele e Tate, mas as coisas não saem como o planejado e durante um jantar de Ação de Graças, Miles vê sua determinação desmoronar.
Lutando para ter o máximo possível de controle sobre o que quer que ele e Tate possam vir a ter, Miles lhe propõe um acordo, onde eles serão apenas “amigos com benefícios”, e complementa com duas regras: Nunca perguntar sobre o passado e não esperar um futuro. A Tate não lhe agrada muito as regras, mas a vontade de ter Miles é maior e ela acaba cedendo.
A princípio o desafio de não saber do passado vai passando batido e isso é um mero detalhe, mas quanto mais Tate e Miles vão se envolvendo e criando sentimentos, mais difícil fica não fazer perguntas, e é ai que os problemas começam. 

Diferente do que vocês podem imaginar, Tate não é uma mocinha boba e cheia de mimimi, ela é uma personagem forte, que se vê apaixonada e motivada a lutar por isso, porque embora Miles afirme que não é isso que ele quer, é o que ele acaba demonstrando. 
Por favor, não o julguem pensando que ele quer afastá-la apenas para evitar compromisso, Miles possui cicatrizes que estão além de sua pele, que tocam seu coração. 
Com uma carga emocional que está além da minha compreensão e um casal muito passional, Colleen brincou com meus sentimentos e me fez ir do riso ao choro em questão de segundos. É simplesmente encantadora a leveza com que ela consegue escrever sobre sentimentos e situações tão difíceis e complexas. 

Personagens secundários: O livro possui alguns personagens que tem grande importância no desenrolar da trama. Seja por algo que aconteceu no passado, como no caso de Rachel, quanto pela presença diária na vida de Tate e Miles, que é o caso de “Cap”, um senhor que “pilota” os elevadores do prédio onde nosso casal mora, mas que tem muito mais importância na história do que simplesmente apertar botões o dia todo.

Capa e diagramação: A capa mantém o padrão original da obra, embora seu título tenha sido traduzido. Quanto à diagramação não posso me manifestar, visto que o livro físico ainda não foi publicado.

Quotes:
"É muito ruim que ele esteja perdido," eu digo para Corbin. "Ele não tem uma má aparência."
"Tate, apenas coloque sua bunda dentro do apartamento e feche a porta, então eu posso desligar."
"Faz seis anos, Tate. Acredite quando eu digo... eu estou pronto."
"Se qualquer outro homem, me tratasse como ele me tratou, seria o único e uma única vez. Eu não tolero as coisas que vi um monte de amigas tolerar. No entanto, eu me vi continuando a fazer exceções para ele, como se alguma coisa pudesse realmente justificar suas ações."
"Eu acho que eu finalmente tenho minha única regra (...) não me dê falsas esperanças de um futuro, especialmente se você sabe no seu coração que nós nunca teremos um."
"Se eu fosse capaz de amar alguém... Seria você."

Comentários: Gente, acho que deixei bem claro meu amor por esse livro e minha admiração pela diva Colleen, certo? Bom, a verdade é que eu estou em êxtase com o lançamento desse livro e mal posso esperar para tê-lo em mãos. Como se isso já não fosse bom o suficiente, ano que vem ele será adaptado para o cinema (surtando de alegria) e o teaser você confere aqui em baixo.
Minha trilha sonora fica por conta de Let Her Go, do Passanger. Dei cinco entrelinhas (mas daria um borboletário) e o coloquei entre os meus favoritos da vida. É amor demais!
Beijos







Real Time Web Analytics