Últimas Resenhas

[Resenha] O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase

04 junho 2015


Título: O Príncipe dos canalhas
Autora: Loretta Chase.
Editora: Arqueiro.
Ano: 2015
Páginas: 266



Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain. Conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent.
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si.
Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.


Oi oi gente, tudo bem com vocês?
Hoje tenho o prazer de trazer a resenha de super lançamento. Com personagens fortes, bem construídos, uma porção de romance e outra de comédia, O Príncipe dos Canalhas é o tipo de romance de época que me faz querer ter nascido em meados de 1800.

Sebastian nunca foi o que se considerava uma criança bonita. Seu pai pouco se importava com ele e por conta disso, a pouca demonstração de carinho que recebia da mãe lhe era o suficiente. Como se as coisas já não fossem ruins para o pequeno Sebastian, tudo fica ainda pior quando sua mãe foge, deixando-o para trás, junto com o pai amargurado.
Desejando livrar-se do garoto, Sebastian é largado à própria sorte em um colégio interno aos oito anos de idade. A princípio sua vida é um verdadeiro inferno graças aos meninos mais velhos, mas como Sebastian não é nenhum santo, logo seu lado endiabrado se manifesta e garoto conquista seu espaço e ganha uma reputação, que o acompanhará por toda sua vida.
Conhecido como Lorde Belzebu (em partes por sua “beleza”), Sebastian leva uma vida de extravagâncias com noites de bebedeira e prostitutas à tira colo. Ele não é do tipo que se apaixona e muito menos do que se envolve com moças de família, como Jessica Trent.
Com esperanças de resgatar o irmão desajuizado da vida boêmia que leva em companhia ao Lorde Belzebu, Jessica viaja à Paris. Diferente da maioria das moças que casam jovens e seguem à risca as regras da sociedade, Jessica tem um espírito livre e não tem planos de ser mandada por um homem. Com uma língua afiada e personalidade forte, a bela moça chega como um vendaval à vida de Sebastian, deixando bem claro para ele, logo no primeiro encontro que ela não é uma moça tola como muitas que se encontra por ai.
Impressionado com a jovem, Sebastian não consegue tirá-la da cabeça, e o mesmo acontece com ela, em relação ao homem forte e imponente que tem diante de si, como um verdadeiro desafio. Em diversas situações nós os vemos em um verdadeiro jogo de gato e rato, que os aproxima cada vez mais, garantindo ao leitor muitas risadas e momentos de expectativas, já que a tensão entre eles é cada vez maior.
Jess é uma garota sagaz, que consegue lidar bem com as situações adversas, inclusive as que envolve Dain e seu gênio ruim. Embora Jessica seja uma lady, a moça possui um lado “femme fatale”, capaz de seduzir, manipular e responder à altura cada uma das provocações e desaforos de Dain, coisa que nenhuma outra mulher havia ousado fazer, o que acaba por despertar nele coisas das quais ele não imaginava poder sentir. Movidos por algumas atitudes impulsivas e uma sucessão de “erros”, Sebastian e Jessica se metem uma tremenda confusão, que pode manchar a reputação da jovem para sempre, se o que ambos mais abominam não acontecer em breve.
Loretta soube desenvolver muito bem a história, mesclando a rebeldia dos personagens com momentos cômicos, românticos e algumas cenas de sexo, sempre na dose certa, garantindo ao leitor um livro leve, divertido e ainda assim apaixonante. Esse é o tipo de livro que você lê em um dia sem nem ver a hora passar, de tão bom que é.

Personagens secundários: Apesar de não terem sido tão explorados, através deles conhecemos mais dos nossos personagens principais, como é o caso da avó de Jessica, que lhe ensina muito sobre a vida, ou o pai de Sebastian, que influenciou diretamente na construção de seu caráter e maneira de ver as coisas a sua volta.

Capa e diagramação: Como sou APAIXONADA por romances de época, a capa foi a primeira coisa que me atraiu. Com um ar romântico, ela exibe os elementos mais marcantes que um romance de época geralmente tem. Amei!
Como li em ebook, não consigo dizer muito sobre a diagramação, exceto que a fonte de é um ótimo tamanho e a divisão entre os capítulos é simples, sem muitos detalhes.

Quotes:
— Meu senhor – disse ela, com um breve aceno de cabeça.
— Srta. Trent – respondeu ele. E não conseguiria mais proferir uma única sílaba, mesmo que sua vida dependesse disso.
Era tudo de que ela precisava, tudo por que ansiava, desde o momento em que o conheceu. Ele era um monstro, mas ela o desejava mesmo assim. Desejava cada coisa terrível que havia nele (...)
 Comece a rezar, Dain.
 Jess - sussurrou ele. 
Ela puxou o gatilho.
“Não há animal mais invencível do que a mulher”, dissera Aristófanes. “Nem o fogo nem qualquer felino selvagem consegue ser tão implacável.”
Implacável. Cruel. Demoníaco.
— Ah, não, de jeito nenhum – resmungou Dain.  Não por meio de intermediários, sua filha do demônio (...)

Comentários: Simplesmente adorável. Desde os Bridgertons, da Julia Quinn que eu não me via tão presa a um romance de época. Jess e Sebastian são divertidíssimos e me garantiram boas risadas.
Vi algumas pessoas comentando por ai e tenho que concordar, o livro acabou de forma meio abrupta, e um epílogo com alguns anos adiante, seria muito bom, por conta disso dei quatro estrelinhas e a musica predominante na minha playlist foi Blank Space, da Taylor Swift.

Real Time Web Analytics