Últimas Resenhas

[Você Sabia?] Pseudônimo- Stephen King

13 março 2015

Olá, pessoal!

Hoje eu trago pra vocês mais um autor que possui um pseudônimo, e dessa vez eu fiquei ainda mais surpresa com o autor do post.
Como eu disse no post anterior, o autor pode usar um pseudônimo simplesmente por não querer ter sua identidade revelada, ou, no caso de um autor mais conhecido, usar o pseudônimo como uma forma de ter uma maior liberdade de escrita, escrever sobre temas diferentes do que estava acostumado.
Bom, o autor desse post, criou o pseudônimo por um desses motivos mas foi além disso.
Todos já perceberam que o autor que estamos falando é Stephen King, tudo bem, e o seu pseudônimo? Richard Bachman.





Stephen King

Sim, o mestre do terror se rendeu aos pseudônimos!

Nesse caso, Stephen Edwin King é o nome verdadeiro do escritor americano nascido em Portland em 21 de setembro de 1947.

Stephen se tornou mundialmente conhecido por escrever contos de horror e ficção. Ele já vendou mais de 350 milhões de cópias pelo mundo, teve muitas de suas obras adaptadas para o cinema e por mais que tenha se tornado famoso por suas obras de terror, também escreveu livros de outros gêneros que se tornaram mais conhecidos ao, também, serem adaptados para o cinema, um exemplo é A Espera de Um Milagre, protagonizado por Tom Hanks.

O tempo que passou na faculdade de 1966 a 1971 influenciaram muito a criação de suas histórias. Pouco tempo depois ele começa a escrever romances, uma de suas ideias era de uma garota com poderes psíquicos, porém descartou a ideia e jogou o rascunho no lixo, sua mulher que achou e após ler o estimulou a continuar a escrever, assim, em 1974, é lançado Carrie, A Estranha. Esse livro ganhou três adaptações para o cinema, a primeira em 1976, a segunda em 2002 e a última lançada em 2013, protagonizada por Chloë Grace Moretz e Julianne Moore.

O fato é que King possui um grande número, pra terem uma ideia ele já chegou a lançar três livros por ano, visto que seu primeiro livro publicado é de 1974 e desde então ele não parou de escrever, é a partir daí que entra seu pseudônimo.

Richard Bachman

Como Richard Bachman, Stephen publicou alguns livros e manteve alguns manuscritos. Basicamente, ele criou esse pseudônimo por dois motivos: primeiro porque no início da carreira King costumava publicar um grande número de livros em um único ano, porém as editoras costumam pensar que publicar vários livros por ano do mesmo autor iria “saturar” o mercado, ou melhor, iria cansar o leitor de tantas obras do mesmo escritor. E o segundo motivo seria porque Stephen King queria saber se suas obras faziam sucesso por causa do nome e fama que havia conquistado ou se era realmente por causa do seu talento. Assim, para ter liberdade de publicar mais obras e para colocar “a prova” o seu talento, Stephen King cria Richard Bachman.

Por mais que as obras King/Bachman possuíssem muitas diferenças, à medida que os livros foram lançados, os leitores foram notando semelhanças na narrativa, mesmo assim, King negava veementemente o fato de possuir o pseudônimo. Quando em “A Maldição” Bachman cita Stephen King a verdade vem à tona. Porém, a forma que o pseudônimo foi confirmado é que chama a atenção, um jovem chamado Steve Brown que trabalhava em uma livraria começou a fazer ligações entre os livros de King e Bachman, mas sempre recebia respostas negativas de King, decidido a comprovar a suspeita de muitas pessoas, ele foi até a Biblioteca do Congresso conseguindo, de alguma forma, o documento de direitos autorais que citava Stephen King como autor do livro A Fúria. Assim, Steve enviou uma carta a editora perguntando o que deveria fazer; quem respondeu foi Stephen King dizendo que ele poderia revelar a verdade em um artigo.

Porém, King já anunciou que Richard Bachman está morto, o motivo? Segundo ele, a morte de Bachman foi causada por um “câncer de pseudônimo”.

Alguns dos livros ele escreveu sob esse pseudônimo foram “Fúria”, “A Longa Marcha”, “A Auto - Estrada”, “Os Justiceiros”.


Fúria (1977)

Sinopse: Charlie Decker é um garoto problemático, e seus pais, amigos, professores e mais um conjunto de eventos o fizeram pirar. Charlie tem uma arma, Charlie é perigoso. Ele segue para a aula e mata sua professora de álgebra e mais outro professor, e passa a manter a sala de refém. Começa um jogo psicológico mortal entre Charlie e seus colegas. Os segredos íntimos deles são revelados um a um e a ansiedade pouco a pouco se instala. É uma lição que Charlie quer que nunca esqueçam.
Fúria (Rage) - Fúria (Rage, no original em inglês), foi escrito por Stephen King em 1966, mas somente publicado em 1977, depois de Carrie (1974), sob o pseudônimo de Richard Bachman.O livro conta a história de um aluno que, armardo, torna reféns professores e colegas.O livro causou certa polêmica nos Estados Unidos depois que alguns jovens seguiram o exemplo do personagem e transformaram suas escolas num verdadeiro inferno. Eles confessaram haver lido o livro Rage e se inspirado nele para cometer os seus delitos. Stephen King tirou o livro de circulação e, hoje, Rage se tornou um dos livros mais raros do autor de inúmeros bestsellers.


A Longa Marcha (1979)

Sinopse: A Longa Marcha é um evento anual que reúne cem rapazes. É uma competição futurística cujo prêmio é um desejo realizado, seja qual for. As regras são simples: durante todo o percurso não se pode parar, e aquele que for advertido três vezes por andar numa velocidade abaixo da requisitada é eliminado da corrida. Seria uma excelente competição, se a eliminação não fosse no sentido literal da palavra…






A Auto Estrada (1981)


Sinopse: O ano é 1973. A inquietação política ronda os EUA com a guerra do Vietnã e o governo conturbado de Nixon. Entretanto, Barton Dawes está alheio a tudo isso. Ele é apenas um funcionário de uma lavanderia, cuja inquietação aparentemente é de ordem mais pessoal. Bart perdera seu filho recentemente para um tumor no cérebro, algo que deixou marcas tão profundas quanto dolorosas em sua vida pessoal. Seu casamento está por um fio e como se não bastasse ele é informado que sua casa e a lavanderia onde trabalha, dois dos seus únicos alicerces naquele momento, serão desapropriados para a construção de uma autoestrada. Suas lembranças (tanto as boas quanto as ruins), seus sonhos, até mesmo a aparente solidez que ele conseguira, a duras penas, construir após a morte do filho, estava prestes a vir abaixo por causa de corporações gananciosas (a necessidade de construir uma autoestrada naquele trecho é ínfima, mas não dizem que o progresso avança, ainda que com rodas tortas!?) e Bart parece simplesmente não assimilar isso muito bem. Ele não pretende deixar que autoestrada nenhuma passe por cima de sua vida e fará o que estiver ao seu alcance para que essa injustiça não aconteça.

Os Justiceiros (1996)

Sinopse: Tarde de verão em Ohio. Nada parece fora do lugar na calma rua dos ÿlamos. Um menino entrega o jornal, crianças brincam no jardim e os irmãos Caver discutem normalmente. O problema é o furgão vermelho no alto da ladeira. Falta pouco para ele começar a descer e transformar esta bucólica paisagem num mar de sangue. Quem conseguir sobreviver a esta tarde de horror vai perceber as regras que movem o mundo dos justiceiros. Um universo onde tudo pode acontecer. Esta é a trama do livro Os Justiceiros, obra de Stephen King sob o pseudônimo de Richard Bachman.
Enfim, é isso, espero que tenham gostado do post e digam se já leram algum desses livros.



Beijos e até o próximo post! <3
Real Time Web Analytics