Últimas Resenhas

#TopLeitura - Eu e Elas #1

29 janeiro 2015


Olá galerinha!
Hoje estamos trazendo para vocês uma novidade. É a coluna #TopLeitura, onde mensalmente escolheremos um livro/conto e todas as resenhistas do blog irão ler, para que possamos então avaliar alguns pontos, mostrando a opinião de cada uma sobre o mesmo livro. E para começar, escolhemos o conto A Rainha de Kiera Cass, pertencente a série The Selection.



Sinopse: Conto digital sobre a Seleção de que a rainha Amberly participou! Uma das personagens mais cativantes de A Seleção é a rainha Amberly, mãe do príncipe Maxon. Ao longo da série, descobrimos pouca coisa a seu respeito, e muitas dúvidas permanecem: como uma pessoa tão bondosa e gentil se apaixonou por um homem rígido e impiedoso? Por que Clarkson a escolheu, considerando que ela vinha de uma casta baixa e de uma província pobre? E qual era exatamente seu estado de saúde? Chegou a vez de Amberly contar sua própria história. Em A rainha, disponível em edição digital, acompanhamos a Seleção anterior à de America Singer, quando Amberly foi ao palácio com outras trinta e quatro garotas para disputar o coração do então príncipe Clarkson. O leitor enxergará uma nova faceta do rei através dos olhos apaixonados de Amberly, entenderá melhor o relacionamento dos dois e conhecerá um pouco mais do passado dessa personagem tão encantadora — uma garota simples que provou que uma rainha pode vir de qualquer casta.




Capa


Kelly Alves - simples porém chamativa, mas se comparada as capas das obras deixou a desejar

Tati Petraccone - Não gostei da capa, apesar de chamar a atenção, eu sou fã de capas e confesso que muitos livros leio por causa da capa, esse não seria o caso.

Luna Brandon - A capa do conto A Rainha é bem simples se comparado às outras da série, porém, tão linda quanto. Não há como negar que as capas dos livros dessa série exibem realeza, as fonte, os símbolos, tudo parece de certa forma, remeter a realeza. Gosto disso.
Mais uma vez, o símbolo da coroa esta na capa, algo que a meu ver, tornou-se uma marca registrada de série. Toda vez que me deparo com uma coroa, logo me lembro da série. As fontes são as mesmas da capa dos outros livros. O padrão permanece e seria impossível não reconhecer a capa como pertencente à série The Selection.
Meus parabéns a Design de capa Erin Fitzsimmons, ela vem fazendo um trabalho incrível nas capas dessa série.

Natália Ribeiro - Eu realmente amei a capa, claro que ela é extremamente simples se comparada as capas da trilogia A Seleção, que são todas incríveis, essa trilogia foi uma das poucas vezes que julguei um livro pela capa kkkkk.
Mas quanto à capa de A Rainha, eu a amei justamente por ser tão simples e tão linda, adoro o símbolo da coroa, já que durante os outros livros a coroa também aparece na capa e se tornou uma espécie de marca registrada da série, achei linda a fonte escolhida para o título; tudo parece lembrar, de certa forma, a realeza. E, não sei se foi só para mim, mas a capa do livro me lembra um diário kkkkkk, não só desse conto de A Seleção, mas em todos os outros. Talvez, porque nesses contos são contadas as histórias de personagens específicos, ou melhor, contam pequenos trechos da história deles, serem narrados em primeira pessoa, parecendo algo extremamente pessoal, e eu adorei isso.


Thaty Almeida - A capa de A Rainha é de longe a mais simples de toda a coleção de The Selection, porém ainda sim, linda e encantadora como as outras. Assim como nas outras obras, vemos novamente a coroa, acho que a coroa tornou-se o simbolo dessa maravilhosa coleção. Curiosa para saber como será as outras capas desta bela distopia.

 Sinopse

Kelly Alves - A sinopse é convidativa a leitura, executa sua função belamente, em compensação nos passa a ideia de será contado muito mais do que o que realmente temos no conto.

Tati Petraccone - A sinopse é interessante, eu ainda não li a trilogia, nos dá uma boa ideia do que será o conto.


Luna Brandon - A sinopse, apesar de ser um tanto reveladora, é chamativa. Mesmo que eu não conhecesse os demais livros da série, compraria este conto para ler. O enredo condiz totalmente com a sinopse, porém, alguns pontos ressaltados não foram trabalhados com a mesma importância ao qual foi exposto.

Natália Ribeiro - A sinopse também é ótima, as perguntas feitas ao longo da sinopse deixam os leitores ainda mais curiosos. Quando eu li a sinopse, eu a achei um tanto quanto exagerada e detalhista, revelando partes da história. A sinopse condiz com a história e não promete algo que não terá no livro. Porém houve alguns detalhes que a sinopse retratou um fato com uma importância maior do que teve na história. Ao ler o livro não senti que todas as questões foram completamente respondidas.


Thaty Almeida - Achei a sinopse um pouco exagerada, com muitos detalhes da obra, por esse motivo a obra não foi tao surpreendente como seria se não tivesse tanto detalhe do q esperar do livro. Porém achei excelente as perguntas na sinopse, pois levanto o curiosidade e chamou a atenção do leitor.


 Enredo

Kelly Alves - o enredo é bom e envolvente, apesar de serem poucas páginas, para alguém que nunca leu os livros e paixão imediata, a autora tem uma escrita perfeita, envolvente e cativante.


Tati Petraccone - Perfeito, me cativou e li em apenas uma hora, foi fácil de entender. A apresentação dos personagens foi na medida, me apaixonei pela Amberly e o então príncipe Clarkson, e me deixou com gostinho de quero mais.

Luna Brandon - Como se trata de um conto de poucas páginas em um passado distante de A Seleção, não é cercado de grandes acontecimentos. Narrado em primeira pessoa pela doce Amberly, este conto nos mostra a fundo os sentimentos de uma Selecionada que devido a problemas de saúde e a sua casta, parecia não ter perspectiva alguma de vir a se tornar um membro da realeza. Sonhadora e completamente apaixonada, Amberly sempre desejou tornar-se a princesa de Clarkson, a mulher que estaria ao seu lado e seria amada por ele por toda a vida. O sentimento mais forte deste conto é paixão, o que me remete aos velhos contos de fada, onde a plebeia desde sempre sonha com o príncipe encantado. Amo isso na escrita de Kiera Cass, a maneira como a história flui nos leva para os contos de fada, algo que dificilmente encontramos nos livros de hoje em dia. A narrativa é ótima, leve e a leitura flui maravilhosamente, não se torna cansativo ou repetitivo em momento algum. A história não possui grandes acontecimentos e a meu ver, o foco principal é a oscilação entre a esperança e desesperança de Amberly em ter tudo àquilo que sempre sonhou.
Justamente pela sinopse ser reveladora, o enredo não se torna algo surpreendente. Devido a problemas de saúde e a inferioridade de sua casta, Amberly acredita que jamais seria escolhida para ser a Princesa de Illéa, porém, sua doçura, beleza e principalmente, condescendência fazem com que todos os demais problemas fiquem em segundo plano na escolha do futuro Rei.
Não posso dizer que gostei da maneira como Kiera levou o relacionamento deles, mas tão pouco posso dizer que gostei. O romance ali parece ser algo muito idealizador, Amberly parece idealizar demais o amor de Clarkson. Talvez por ele ser frio demais, não demonstre seus sentimentos. Essa é a primeira vez que leio um conto que tinha tudo para ser um romance e não vejo uma declaração de amor. Isso pra mim como leitora, foi totalmente surpreendente.
O conto termina um tanto abruptamente e seu final é deixa um ponto de interrogação para o final da Seleção de Amberly e o futuro das demais Selecionadas. Eu realmente esperava bem mais desse conto, apesar de amá-lo.


Natália Ribeiro - Como se trata de um conto de poucas páginas sobre uma parte de A Seleção, não é cercado de grandes acontecimentos. Quando eu li esse conto eu ainda não havia lido a trilogia e ao começar a leitura cheguei a pensar que deixaria de entender alguns trechos justamente por não ter lido os outros três livros, mas a autora foi incrível e ao invés de prejudicar o leitor contando a história sob uma perspectiva avançada, ela se limitou apenas a rainha Amberly e ao rei Clarkson, dessa forma se alguém quisesse apenas ler o conto e não ler os demais livros, o entenderia por completo. A narrativa é ótima, leve e a leitura se torna fácil, narrado em primeira pessoa por Amberly de uma forma ingênua e romântica. A autora não ficou dando voltas em torno de certo assuntos e não foi repetitiva, assim fez a leitura fluir. A história não possui grandes acontecimentos, o que vi foi uma importante mudança nos personagens do início ao fim, mas claro possui alguns acontecimentos muito bem montados pela autora, explicando algumas dúvidas dos leitores de A Seleção. Eu só achei que a história terminou de uma forma um tanto abrupta, deixando uma espécie de lacuna entre o conto e o primeiro livro da trilogia. Mas ainda assim com um enredo totalmente simples e fácil a autora criou um lindo romance, não é exatamente inovador e surpreendente; é apenas um conto. Mas esse romance somado a linda escrita da Kiera nos faz entre em um conto de fadas e nisso tenho que dar os parabéns a ela.


Thaty Almeida - Essa obra e um livro de pouco mais de 50 páginas, por este motivo não tem como ser uma estória de grande acontecimentos ou que a autora fique dando voltas e mais voltas. Porém nossa rainha Cass nos contou sobre alguns detalhes que a princípio no livros A Seleção, A Elite e A Escolha, não achamos importantes, mas q deixou uma certa curiosidade nos leitores, como por exemplo o por que Amberly ser tão doente, ou como se apaixonou pelo frio e impiedoso Príncipe Clarkson. Mas apesar de Kiera nos esclarecer certas curiosidades ela ainda assim conseguiu escreve este conto de uma forma independente (leitores que não leu a trilogia, se quiser ler A Rainha vai entende a história). Apesar das revelações o livro termina de uma forma muito repentina, assim em um momento estão conversando e em outro o livro acaba. Mas apesar disso a escrita como sempre é leve e fácil dr entender e a leitura flui como sempre nas obras de Casa.
Gostaria apenas que fosse um livro e não um conto tão pequeno.


 Personagens

Kelly Alves - Os personagens são envolventes, a ponto de em apenas 100 páginas você já estar torcendo pros mocinhos ficarem juntos.


Tati Petraccone - Os personagens me cativaram, me encantaram, torci muito pelo final feliz de Amberly e Clarkson, Amberly me passou a imagem de moça ingênua e simples que faria tudo pelo amor do príncipe, já ele é um homem sofrido pelos conflitos dos pais e tenta tranquilidade e paz, realmente fiquei encantada!

Luna Brandon - Os personagens não são surpreendentes, talvez eu possa classificá-los como um tanto clichês. Não é cansativo, porém, não é algo inovador. Talvez um tanto vagos, até. No entanto, em momento algum eles deixam de ser amáveis – exceção para Clarkson. Amberly é uma personagem muito simples, ingênua, doce e meiga. Seus sentimentos são puros e inocentes, e ela tem um coração sonhador. É uma personagem que entre esperança e desesperanças, é bastante determinada e focada no que quer, embora seja submissa a qualquer vontade do objeto de sua paixão: Clarkson, o futuro rei de Illéa. Clarkson não é um personagem desprezível, porém, tão pouco amável. Arrogante, prepotente, distante, frio e rígido, a meu ver ele não é um homem digno de ser um Rei. Ele parece ser até mesmo um tanto egocêntrico e centralizador. Realmente, não gosto dele. Porém, neste conto consegui entender melhor o porquê da maneira como ele tratou Maxon nos demais livros da série. Para ele, todos têm de ser submissos a suas vontades. Ninguém parece estar acima dele. Ele realmente tem uma personalidade difícil, e talvez a bondade de Amberly tenha conseguido resgatar uma ou outra coisa boa da personalidade dele. Ela o acalma, porém, não é o suficiente para mudá-lo e fazer dele, um homem melhor. Para não dizer que nenhum personagem me surpreendeu, os pais de Clarkson conseguiram isso, principalmente, a Rainha Abby. Eu os julguei muito antes de conhecê-los e aquele velho ditado de que “as aparências enganam”, cabem perfeitamente a eles. Abby não obteve muito destaque na história, mas pelo pouco que teve, deu para perceber que além de obcecada pela coroa, ela é mau humorada e egocêntrica. Acho que sei de onde Clarkson puxou as maravilhosas qualidades! rs
As demais Selecionadas ficaram muito de lado na história, exceto por uma ou outra que era um pouco próxima de Amberly. Porém, ainda assim, suas aparições na história são quase nulas. Gostaria muito de saber um pouco sobre elas, acredito que esse seja um ponto negativo. As Selecionadas que teriam de ser o foco principalmente, uma vez que se trata de uma Seleção, ficaram totalmente ofuscadas pelos problemas de saúda de Amberly e pelo amor aparentemente impossível de Clarkson e Amberly.
Uma personagem que não aparece na história, porém, fez muita falta é a irmã de Amberly. Elas se correspondem por cartas. Apesar dela não estar presente, achei bastante interessante essa relação tão afetuosa entre as duas.

Natália Ribeiro - Os personagens pra mim são um pouco clichês e repetitivos, em alguns momentos os achei até cansativos, como se pudesse saber exatamente o que eles iriam fazer: Amberly é realmente aquela garota simples, ingênua e sonhadora que nutre um amor por alguém que poderia, talvez, jamais a notar. Já Clarkson é distante, frio e rígido. Gostei da forma que a autora levou a relação dos dois, por mais que também já se seja uma forma conhecida, já que Clarkson se apaixona por alguém totalmente diferente que ele, o que é algo que já estamos acostumadas a ler, mas adorei o fato de como a autora fez com que Amberly resgatasse o que há de bom na personalidade de Clarkson.
Os pais de Clarkson foram uma surpresa pra mim, principalmente a rainha Abby, pra mim, ela é uma das melhores personagens do livro, a autora fez com que eu os julgasse antes de conhecer o que acontecia realmente entre eles. Quanto as outras garotas que participavam da seleção, achei que elas ficaram um pouco mais de lado, mais contidas, salvo por uma ou duas que eram mais próximas de Amberly, mas achei que elas poderiam ter aparecido um pouco mais. 


Thaty Almeida - Neste conto os personagens não me surpreenderam tanto. Na verdade são bem clichês, Amberly como a garota amável, educada, ingenua, alto estima baixa, e pobre; Clarkson como arrogante, frio, calculista, bonito e podre de rico.
Amberly por ter alto estima baixa, não acredita na possibilidade de que o príncipe a notasse, quem dira olhasse.
Nossa protagonista tem um coração bondoso e vê sempre o que melhor em todos, até mesmo no frio Príncipe Clarkson, que gosta apenas de poder, ordem e controle, Clarkson sempre foi assim, minha perspectiva dele não mudou nem um pouco em relação ao q ele demostrou nos outros livros desta coleção.
A personagem que mais me surpreendeu e que não esperava é a Rainha Abby, está realmente Kiera inovou.kk
Quanto as outras selecionadas, neste conto elas ficaram dr segundo plano, a que aparece um pouco mais é a Madeline, a mais próxima dr Amberly, mas mesmo esta não esta muito em foco na história.


 Quote Preferido

Kelly Alves 

"você será a única coisa no mundo realmente minha. E vou colocá-la em um pedestal tão alto que será impossível alguém não te adorar."

Tati Petraccone - 
- Você guardou todos meus segredos, e garanto: se casar comigo, haverá muitos para guardar. Você não me julga nem se assusta com qualquer coisa. Você me tranquiliza. – Antes de continuar, ergueu o olhar até meus olhos. – Estou desesperado por tranquilidade. Acho que você é a minha única chance de obtê-la.
Luna Brandon 

"Ele tinha dito todas as palavras que eu esperava ouvir desde sempre: rainha, esposa, adorar. Os sonhos que eu abrigara no meu coração estavam se tornando realidade”.

Natália Ribeiro

“— Tivemos uma conversa tão longa sobre isso outro dia que acho que Piper não sabe nem por onde começar — falei entre risos, imitados por outras garotas. — Todas concordamos que nosso primeiro dever é para com o príncipe. Servi-lo é servir Illéa. Pode parecer uma descrição estranha para o cargo, mas fazer nossa parte permite que o príncipe faça a dele.”
Thaty Almeida - 
"Tentei não me assusta com os pensamentos da minha cabeça. Porque se precisasse escolher entre Clarkson e mim, não sei se seria capaz de me colocar em primeiro lugar. Ele era o príncipe, e sua vida tinha um valor inestimável para o pais. Mais que isso, tinha um valor inestimável para mim.Dei de ombros na tentativa de afasta o pensamento.Afinal, não era como se isso fosse acontecer algum dia. " 

Nota
Kelly Alves -  Nota 10

Tati Petraccone - pode ser 100, não néh? rsrsrsrs, eu amei e estou louca pra ler a série! Nota 10.



Luna Brandon - Dou a nota 8 para o conto, pois gostaria muito que essa história não fosse apenas um conto pequeno, mas sim, um romance para que pudéssemos ter uma melhor perspectiva desde o inicio, de como é a vida de Amberly antes mesmo de ela ir para o palácio, uma vez que o conto começa no meio da Seleção, até o fim, quando ela ao menos se casa com Clarkson. Com pontos positivos e negativos, o conto A Rainha tem um narrativa impecável e descrição sublime. Kiera Cass é mesmo um achado da literatura Juvenil.

Natália Ribeiro - Nota 8


Thaty Almeida - Nota 8
Real Time Web Analytics