Últimas Resenhas

[Resenha] Veronika decide morrer - Paulo Coelho

26 setembro 2014

Olá Galera!! A Maratona Nacional acabou,maaaas como foi beeeeem podutivo e conhecemos obras maravilhosas, vamos continuar colocando os nacionais que não conseguimos publicar durante a mesma..
Espero que gostem... 


Título: Veronika decide morrer
Autora:Paulo Coelho
Editora: Planeta do Brasil
Paginas: 224
Ano: 2006

Sinopse:
A loucura é a incapacidade de comunicar-se. Entre a loucura e a normalidade, que no fundo são a mesma coisa, existe um estado intermediário: chama-se ser diferente. E as pessoas estavam cada vez com mais medo de ser diferentes. No Japão, depois de ter pensado muito sobre a estatística que acabara de ler, me veio a ideia de escrever um livro sobre a minha própria experiência. Escrevi "Veronika Decide Morrer" na terceira pessoa, usando meu ego feminino, porque sabia que a minha experiência de internação não era o que interessava mas sim os riscos de ser diferente, e o horror de ser igual.

Boa tarde galera, demorei mas estou de volta, com resenha nova (e atrasada!)... hahaha Desculpem!
 Comecei em um trabalho novo que está sugando todo o meu tempo e disposição, por isso a demora pra ler, resenhar e postar... :/

Enfiiimm, comecemos...

Da série livros que mudaram minha vida: Veronika decide morrer. O que na minha opinião poderia muito bem ser ‘Veronika decide viver’, e o motivo vocês vão entender agora... 
Verônika vive uma vida monótona, sem grandes tristezas ou grandes alegrias, uma vida ‘normal’ como todas as outras, e é justamente isso que a deixa profundamente incomodada. Cansada dessa passividade e sem esperar muito do futuro, aos 24 anos de idade ela decide morrer, tomando uma quantidade considerável de medicamentos para dormir. Porém é socorrida a tempo, Verônika recobra a consciência e descobre que não está mais no convento, lugar onde vivia e onde cometeu a tentativa de suicídio, mas sim em Villete, o famoso e temido asilo de loucos.

Ela é informada pelo médico do local que os comprimidos tomados na tentativa de suicídio afetaram gravemente seu coração e que ela viverá por pouco tempo, talvez 5 ou 6 dias.
De início, Veronika se sente aborrecida, pois 5 dias é muito tempo para continuar vivendo. No entanto, após a notícia de sua morte, ela começa a se apegar às coisas simples e que antes não tinha importância, começa também a se redescobrir, percebendo assim, que talvez (só talvez!) a vida não fosse tão sem graça, e que seus dias eram iguais só porque assim desejava.
Por isso eu estava chorando – disse Veronika. – Quando tomei os comprimidos, eu queria matar alguém que detestava. Não sabia que existia, dentro de mim, outras Veronikas que eu saberia amar.

Apesar de muitas pessoas não gostarem dos livros do autor Paulo Coelho, eu particularmente gosto muito, e esse em especial é um dos meus favoritos, não só do Paulo, mas de todos os livros que já li até o momento. Trata-se de um livro que nos faz repensar sobre muitas coisas... Sobre nossas vidas, sobre o que realmente é importante, sobre o que é loucura... Talvez sejamos todos loucos fingindo sermos normais.

A loucura é a incapacidade de comunicar suas idéias. Como se você estivesse num país estrangeiro – vendo tudo, entendendo o que se passa a sua volta, mas incapaz de se explicar e de ser ajudada, porque não entende a língua que falam ali.
Fiquei diaaas refletindo, e sinceramente? Cheguei à conclusão que existem várias Verônikas espalhadas por aí, eu mesma sou uma delas, muitas vezes me flagrei fazendo a seguinte pergunta: “Qual é mesmo o sentido de tudo isso?”, Verônika é uma personagem bem comum, muito palpável, e com medos e aflições reais.

Fiz uma resenha breve, porque mais do que isso seria spoiler, e não quero ser estraga prazeres.

Maaas... Siiiim, tem romance! :D

HAHAHAHAHAHAHAHAHA’

Segue um trecho para deixá-los na expectativa...

- Como eu lhe conheci há uma semana, seria muito cedo para dizer: eu te amo. Como não devo passar desta noite, seria também muito tarde para dizer-lhe isso. Mas a grande loucura do homem e da mulher é exatamente esta: o amor.

- Entendo o que você está falando – disse Eduard. – Eu provoquei o choque elétrico, porque você me deixa confuso. Não sei o que sinto, e o amor já me destruiu uma vez.”
Aaah, e só mais uma coisa... Leiam, leiam e leiam!!! E se puderem, passem aqui e deixem suas opiniões, eu gostaria muito de poder compartilhar experiências sobre a leitura.

Até a próxima (espero que em breve)!

Bjos


Dai Nascimento
Real Time Web Analytics