Últimas Resenhas

[Resenha] Quem poderia ser uma hora dessas? - Lemony Snicket

09 dezembro 2012




Título: Quem poderia ser uma hora dessas?
Autora: Lemony Snicket (Daniel Handler)
Editora: Seguinte
Paginas: 235


Sinopse:
Em uma cidade decadente, onde se criam polvos para a produção de tinta, onde há uma floresta de algas marinhas e onde um dia funcionou uma redação de jornal em um farol, um jovem Lemony Snicket começa o seu aprendizado em uma organização misteriosa.
Lá, ele vai cair na árvore errada, vai entrar no portão errado, destruir a biblioteca errada, e encontrar as respostas erradas para as perguntas erradas - que nunca deveriam ter passado pela cabeça dele.
Ele vai atender seu primeiro cliente e tentar solucionar o seu primeiro crime, aos comandos de uma tutora que chama carro de “esportivo” e assina bilhetes secretos.


Ele escreveu um relato sobre tudo o que se passou que não deveria ser publicado, em quatro volumes que não deveriam ser lidos. Este é o primeiro deles.O livro gira em torno de Lemony Snicket que acaba de se formar em alguma organização secreta e terá que desvendar seu primeiro caso (não fica claro que se é o primeiro) junto com uma tutora muito estranha chamada pelo nome de “S” (cabelos encaracolados e selvagens, senti um preconceito com as meninas de cabelos cacheados, tipo eu... ¬¬’) no qual eles foram contratados para recuperar uma estatueta que foi roubada.

É um livro infanto-juvenil, voltado acredito para crianças e pré-adolescentes 10 a 12. Mas recomendo o livro para qualquer adulto. Pois é uma estória cheia de mistério e reviravoltas. E também é livro bem divertido.

O livro é contado em primeira pessoa e temos a visão do próprio Lemony Snicket. É um livro de 235 paginas, no qual levei umas 4 horas para ler, ou seja, é um livro curto. As ilustrações são lindas, o livro inteiro e todo caprichado.

O que é demais desse autor é que os personagens principais são crianças. Só que essas crianças não brincam de carrinho ou bonecas. Elas são peculiares e quando quero utilizar a palavra peculiar quero dizer que elas possuem características admiráveis, únicas e fortes. e conseguem enxerga coisas que maioria dos adultos não quer ver.

A forma como Lemony fala é diferente e engraçada. Ele sempre coloca uma palavra difícil e explica o significado da mesma em relação à ação que esta ocorrendo momento. E esse seu jeito espertalhão deixa sua tutora louca, porque, diga-se de passagem, ela é bem maluquinha e um pouco tapada.

Outro ponto que eu gosto muito do personagem/autor/pseudônimo Lemony Snicket é que ele sempre cita sua relação com bibliotecas e como elas são legais, ou como é interessante ler um livro. Ou seja, é um bom incentivo para as crianças que possivelmente possam ler o livro.

Mais um ponto engraçado e um pouco irritante é que os adultos geralmente são tapados, não entendem mesmo quando a verdade está estampada, não escutam ou não acreditam no que as crianças dizem. Acredito que isso acontece porque é um pouco do que vivemos quando crianças, isso é real, nós adultos várias vezes não damos importância para que uma criança as vezes quer falar.

“Dá um liga” nessa frase – “Repreender alguém deve ser muito divertido, mas muito divertido.Se não fosse, crianças também poderiam fazê-lo.” pg 142
Fala sério, demais neh!

Por que ler este livro:

A escrita de Lemony Snicket(Daniel Handler)lembra-me muito o Tim Burton.Não pelo terror, mas pelo tipo de criatividade.As vezes ele fala sobre um objeto vamos supor a estatueta em questão que foi roubada, como se esta tivesse vida ou fosse uma pessoa entende?
Ele faz de coisas que parecem não ter ligação, pelo menos aparentemente, ter. Os personagens possuem características um tanto quando excêntricas e ele não precisa ficar descrevendo vinte paginas cada personagem para você adotá-los para si ou simplesmente odia-los.
E tudo isso descrito de uma maneira simples, divertida e gostosa de ler. Olha eu não sou escritora e nem li tantos livros.Mas percebo que não são todos os escritores que conseguem ter essa coisa, essa identidade.E eu sinto essa coisa quando leio qualquer coisa desse cara,(tive esse sentimento em desventuras em série também.)

O que aprendi com esse livro?

É bom olhar a simplicidade das coisas, como as crianças fazem. Elas não pensam, elas vivem saca?
Gostei muito desse trecho, um amigo disse-me a mesma coisa um dia anterior a leitura do livro:
“-Tem alguma coisa acontecendo que a gente não está conseguindo enxergar.
-Geralmente é esse o caso – eu disse. – O mapa não é o território.” Pg.109 - Quem poderia ser uma hora dessas?, Lemony Snicket.






Real Time Web Analytics